Onde as fakenews tomam notoriedade e um colapso é assistido ao vivo.

Vamos falar de pandemia. E sim, faz um tempo que não falamos dela em si, mas sim dos desdobramentos que está causando.


Viemos falar de cloroquina. E ivermectina, vitamina D e zinco quelado, distribuído pela UNIMED de Brusque, Santa Catarina como Kit covid aos funcionários. E também do delivery de um kit parecido, distribuído sem comprovação de que de fato o paciente estivesse com coronavírus, pela Prevent Sênior. Ambos aconteceram em julho de 2020 e contrariam as recomendações do Conselho Federal de Medicina, Organização Mundial da Saúde e Anvisa.


Tudo começou lá nos Estados Unidos em maio de 2020, lembra? Trump, ao ser questionado sobre o uso desse medicamento respondeu que "Achava que era bom". E lá se foram 2 milhões de doses para cá, distribuídas para serem utilizadas em circunstâncias de preventivo.


Todos os testes realizados provam a ineficácia do medicamento. Mas mesmo assim, continua sendo mencionado (e sugerido) pelo governo atual como um meio eficaz. Entre maio e julho de 2020, devido a alta procura, houve falta do medicamento nas farmácias. E quem precisava, ficou sem. Estamos falando de doenças como malária, amebíase hepática, artrite reumatoide, lúpus. Estamos falando de pessoas com doenças autoimunes, que PRECISAM do medicamento.


Nas últimas semanas, o Canto Baobá Psicologia ficou atente quanto aos desdobramentos da vacina Chinesa desenvolvida com coordenação do Instituto Butantan. E a CoronaVac, mesmo com 100% de eficácia contra casos graves e 78% de eficácia contra casos leves e moderados da doença, diversas fakenews foram criadas para fazer com que a população não acredite na ciência.


É mudança de DNA para lá, chip para controlar pessoas para lá. Rolou até uma matéria em que dizia que a vacina era desenvolvida de células de fetos abortados! E o Governo Federal estimula a criação e a crença dessas notícias ao anunciar que "deve tomar a vacina quem quiser". Bolsonaro, em pronunciamento no dia 17 de dezembro de 2020 em Porto Seguro, alega que "já possui anticorpos contra, por isso não tomará a vacina". As aspas longas a seguir, segue na íntegra:


"Eu não vou tomar. Alguns falam que eu estou dando um péssimo exemplo. O imbecil! O idiota que está dizendo que estou dando um péssimo exemplo: eu já tive o vírus, eu já tenho anticorpos! Para quê tomar a vacina de novo? E outra coisa que têm que ficar bem claro aqui, lá na Pfizer ta bem claro lá no contrato: Nós não nos responsabilizamos por qualquer efeito colateral. Se você virar um chi, se você virar um jacaré, é problema de você, pô! ". Bolsonaro continua com mais exemplos de "efeitos colaterais", dentre eles: virar super homem, nascer pêlos em mulheres e homens passarem a falar fino.


O colapso de Manaus já havia sido avisado uma semana antes. E mesmo após o Ministro da Saúde Eduardo Pazuello admitir que há um colapso nas redes de saúde de Manaus, o presidente afirmou hoje, dia 15 de janeiro de 2021, que fez sua parte.


E fez mesmo: no dia 24 de dezembro de 2020, o governo federal retirou os cilindros de oxigênio da taxação zero. A partir de janeiro, os cilindros de ferro (feitos no exterior) passaram a ser taxados em 14%. Já os de ferro, 16%. Em paralelo, zerou os impostos de importação de armas.


Enquanto isso, artistas se mobilizam para transportar, em segurança, cilindros de oxigênio para ajudar no combate à covid-19. Enquanto isso, artistas fazem mais que o presidente.



28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo