Eu sou uma fraude? Como a síndrome da impostora afetam as mulheres pretas?

Primeiramente vamos explicar de forma bem simplificada o conceito da Síndrome do Impostor, que é a dificuldade de reconhecer suas competências, habilidades e atribuir seu sucesso ou conquista, à sorte ou outra casualidade.


As pessoas tendem a vivenciar este sentimento no trabalho, mas a síndrome também se manifesta em outros contextos, por exemplo, no convívio social.


Quando falamos da Síndrome do Impostor em mulheres pretas, estamos nos referindo ao impacto do racismo estrutural e o machismo na subjetividade desta população. Vivemos em uma sociedade que possui muitos dispositivos para nos exterminar. O culto da brancura nos faz sucumbir ao desejo do opressor.


A nossa auto estima é destruída pela falta de representatividade e auto confiança, é demolida pela falta de símbolos relacionados a nossa negritude. Ser mulher preta neste país é trabalhar duas, três vezes mais para provar que temos capacidade e merecemos estar onde estamos.


Ser mulher preta no mercado de trabalho significa ser a melhor o tempo todo. Isso nos desgasta, deprime e adoece.


Sabe aquela voz que diz que você não é boa o suficiente? Por muitas vezes, gera uma sensação de inferioridade e questionamento sobre sua real competência.


Quando ocupamos lugares que foram negados, nos sentimos inseguras, sozinhas e o medo toma conta com o pensamento que "algum momento alguém vai descobrir que sou uma farsa".


Mas como acreditar na nossa capacidade diante desta situação? Como se livrar da sensação de não pertencimento?


Conforme a escritora Grada Kilomba propõe: “precisamos descolonizar o pensamento”. Refletir sobre estes discursos das nossas existências que não são nossos e sim do opressor sobre nós. Aceitar elogios, aprender a olhar a nossa existência com mais carinho e auto compaixão, reconhecer e se reconectar com a potência do ser africano!


Pois somos descendentes de Reis, Rainhas, Escritores, Arquitetos e entre outros símbolos de poder que são invisibilizados e silenciados nesta sociedade.


#descriçãodaimagem : o fundo da imagem é branco. Na parte superior e central da imagem, está o nome da autora do texto: "Noemi Machado". Justificado à esquerda e na parte superior da imagem, está o título da postagem "Eu sou uma fraude? Como a Síndrome da Impostora afetam as mulheres pretas?".


Abaixo do texto, há a ilustração de uma mulher. Ela é preta, possui cabelo 4c verdes, usa óculos amarelo e batom preto. Na lateral esquerda inferior, está posicionada a Logo do Canto Baobá Psicologia. Saindo do logo, há uma ilustração de uma folha em laranja. Na parte superior direita, também há uma ilustração de uma olha em laranja.




40 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Preto.