Poema de Isabella Correa

A estrada tem andado um pouco fria

Meu coração tem andado desatento

O silêncio se confunde com a noite de um domingo.

Tenho andado pensando

Na força que tenho.

E tenho andado tendo dúvidas.

As lágrimas andam como sempre foram,

Muitas

E apesar de lavar meu peito quase toda noite nas águas salgadas do choro guardado

Tenho tentado ser forte

Ando em descompasso

Comigo

Com o tempo

Procuro pela minha gentileza comigo mesma

Tenho recolhido cacos de solidão

E tenho chorado demais,

Mas já que é sobre gentilezas

Também tenho amado demais

Então me vejo na espera

Na encruzilhada

Sento, espero

Sou mais do que só eu

Tenho andado acompanhada

E fortalecida nos limites da dor

Tenho rezado também

Joelhos no chão

Vela acesa

Tenho quisto algo mais do amor

Tenho guerreado nas batalhas mais incertas

E tenho sido forte

Mas então peço calma

Pois tenho caminhado

Apesar dos passos lentos,

E também tenho chorado,

Mas dessa vez sem desespero.

Então, calma

Espere

Que tenho fé também.

Minhas velas seguem acesas

E eu sigo acompanhada

E nessa encruzilhada

Minha vela é de Exu.

E o movimento meu

Aceleração continua

É primordial

Ancestral.

Então calma

Respira

Que essa noite

Foi só mais um dia

E assim como disse N'zinga

Temos saído vitoriosas,

Mesmo sem que percebam.

E aí, Belchior,

Tenho sangrado demais

Tenho chorado pra cachorro

Ano passado eu não morri

E nem esse ano eu morro


* Isabella é paciente da nossa Psicóloga parceria Kat Batista!

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo