Uma pausa para olhar o "Medo"

O dia vai passando, você começa a pensar que deve ter perdido algo no meio do caminho. O tempo passa depressa demais e tem dias que ele se estica sem fim. E você fez o que durante esse tempo, se espremeu e correu com o tempo ou se deixou levar pelos segundos que duraram horas?


Por vezes me pego me achando uma pessoa forte e tranquila, mas as fichas aos poucos caem quando eu vejo que, todos os dias, eu deixo de fazer algo por conta de um medo. Eu estou começando a ver que fico muito vulnerável e me deixo consumir por esse sentimento. Eu nunca percebo que o medo está lá, deixando-me ansioso, confuso, triste e até preso.


Só nessa semana eu tenho certeza que não fui mais que o esperado que eu fosse. Calei-me quando quis falar, guardei verdades por medo de expô-las e não fui atrás do que eu queria. Coisas que aconteceram por medo.


Não existe só um medo. Tem o medo do erro, do julgamento, da violência, de perder alguém, de provocar sentimentos ruins, de mudar, de ficar sempre igual, de acertar, de perder, etc. O medo se disfarça muitas vezes por não vir sozinho. Ele vem acompanhado da vergonha, da tristeza e da insegurança. Então deixo minha dúvida à quem souber responder e à quem não se afeta pelo medo de todos os dias. Como podemos enfrentar sozinhos o “MEDO”?


*Texto autorizado para veiculação por Cloves Ferreria. Cloves é paciente do Sócio-Proprietário do Canto Baobá Douglas Felix!

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo