Relacionamentos e Aplicativos

Esses dias, me permiti a viver a experiência de instalar um app de relacionamento, o famoso tinder, que ouvimos tanto falar em diversos momentos e situações nas sessões: eu e meus colegas de profissão.


No começo é até interessante quando você não vai fazendo uma crítica ou análise da dinâmica como

funciona o aplicativo, mas quando vamos nos habituando, alguns questionamentos vão aparecendo. Fui percebendo o quanto o app representa uma sociedade heteronormativa, branca e padrão.


Para pensar, quantas pessoas pretas passam dos dez perfis que você vê?


Como são esses corpos?


O sociólogo e filósofo Bauman diz o seguinte: “Na sociedade líquida atual, as pessoas não pensam mais na qualidade, mas sim na quantidade. Quanto mais relacionamentos eu tiver, melhor. Ficar com várias pessoas em um mês é sinal de orgulho. Essa ideia de não se apegar a nada e não ter sentimentos por ninguém pelo medo do sofrimento pode parecer uma coisa boa, mas não é. Vai chegar uma hora que o vazio dentro de você vai ser aterrorizante, e eu garanto que esse sofrimento vai ser maior e mais letal.”


Trago essa reflexão de como estamos vivendo em tempos líquidos, em diversos âmbitos da vida.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo