Por que lutar por uma psicologia plural?


Para que o cuidado com a saúde mental possa se expandir para o maior número de pessoas possíveis. Para que não haja reprodução de violência na clínica. Para que todes possam ser respeitades por serem quem são, para que se pense em uma psicologia brasileira.


E não só para quem é paciente, viu? Queremos mais Psicóloges LGBTQIAP+ /pretes/ PCDs segures para que possam exercer sua profissão, psicologes brancos, héteros e cis entendendo, dialogando e lutando contra as violências estruturais, fortalecimento de redes da saúde, entendimento de que profissionais da saúde mental são tão válides quanto da saúde física.


Lutar por uma psicologia plural é dialogar! É entender que saúde é comida da mesa, trabalho digno, qualidade de transporte público. É questionar o sistemas e cistemas.


É tornar o seu redor diferente!


A conversa não para por aqui, viu? Semana que vem, na @agencia.jovem , falaremos mais sobre a história da psicologia e a busca pela democratização da mesma!


Prontes para ler nossa coluna? Só ficar de olho aqui nas nossas redes sociais e redes sociais da Agência!


#descriçãodaimagem: fundo branco com textura similar a de papel amassado. Na lateral superior esquerda, há a ilustração de um galho de árvore em verde, com uma forma orgânica em laranja. No centro e na parte superior da imagem, está a tag da postagem "psicologia" e a Fonte que retiramos a imagem que compõe a ilustração. Na lateral superior direita, está localizada uma forma orgânica em rosa. Centralizado e justificado à esquerda, está o título do post "Por que lutar por uma psicologia plural?". Abaixo do título, está a ilustração de uma cadeira com pés em madeira e acolchoado em verde claro, com uma mesa de lateral branca com pés em madeira. Atrás da imagem, há formas orgânicas nas cores laranja, cinza e rosa. Na lateral inferior esquerda, está posicionada a logo clínica do Canto Baobá;

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo