Saúde mental e a fome


A Vera começou pedir comida. E eu não tinha. Era a reprise do espetaculo. Eu estava com dois cruzeiros. Pretendia comprar um pouco de farinha para fazer um virado. Fui pedir um pouco de banha a Dona Alice. Ela deu-me a banha e arroz. Era 9 horas da noite quando comemos. E assim no dia 13 de maio de 1958 eu lutava contra a escravatura atual – a fome!"


Semana passada, te convidamos para uma exposição sobre Carolina Maria de Jesus. E é com esse trecho de um de seus escritos que viemos falar sobre a fome, que vem de muito antes de 1958, e que assim como o escrito, escancara o racismo estrutural, falta de apoio governamental, negação de direitos básicos e está diretamente ligado à saúde mental.


116,8 milhões de brasileires não possuem acesso pleno à comida. O Brasil, que em 2014 saiu do mapa da fome, volta em 2018, após as eleições de Bolsonaro. Atualmente, ocupamos o 80º lugar no ranking mundial, resultado de falta de gestão pública, pandemia da covid-19 e do descaso, fruto do pensamento de extermínio populacional que nos atinge com a atual gestão.


Difícil é se pensar em um cuidado com a saúde mental em um país em que os ossos bovinos passam a ser vendidos em supermercados. Em que programas sociais são extinguidos, em que auxílio emergencial de R$ 150,00 à R$ 375,00 por integrante por família nos é dado como se contas básicas, para além de mercado (isso se com R$150,00 alimentar uma família de forma digna) , bastasse. Pensar em saúde mental é também pensar em comida na mesa.


Sendo assim, essa postagem é também um pedido de ajuda. Comente aqui embaixo, projetos sociais que visam diminuir a fome no brasil, para que possamos divulgar em nossas redes sociais e particulares. Se, em quase quatro anos, nunca pudemos contar com o governo: que possamos ser rede de apoio.


#descriçãodaimagem : fundo branco com textura similar a de papel amassado. Na lateral superior esquerda, está posicionado uma linha orgânica na cor rosa. Centralizado e na parte superior do post, está escrito o link da imagem utilizada para compor o texto e a tag: psicologia. Centralizado e justificado à esquerda, está o título do post "saúde mental e a fome". Abaixo do título, há uma imagem de um prato vazio e uma colher posicionada à direita do prato. Há duas formas orgânicas em laranja e marrom, que estão localizadas atrás do prato e colher. Na lateral inferior esquerda, está posicionada o logo clínico do Canto Baobá.



3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo