É possível controlar tudo?


Não.


Tecnicamente, algumas ações de nossas vidas podem sim ser controladas dentro de uma realidade específica. Se há dinheiro para o mercado, podemos controlar o que iremos comprar. Se estamos em uma conversa, conseguimos controlar o que falar.


Em contraponto, não se controla nem piscada do próprio olho, já parou para pensar? Mas somos ensinades socialmente a olhar para nossa vida e planejar tudo. É trabalhar com metas o tempo todo: no trabalho, nas amizades, nos ciclos de convívio. E a ideia do planejamento de toda uma vida, busca pela estabilidade (e coloque aqui a estabilidade que você estiver pensando) e muito corre para conseguir cumpri-las pode fazer com que, caso algo saia (e spoiler da vida: vai sair, em algum momento) dos seus planos iniciais, a frustração pode tender a vir.


Reparem que utilizamos sempre a possibilidade de, não a certeza. Porque até em nossos processos de escrita não há controle do que u outre possa entender. Partimos, daqui, também com o fato de que não há como ter dimensão da sua vida.


Mas de uma coisa sabemos: existem muitos fatores para que algo saia do que você considera como controle. Às vezes o social, histórico, gênero, raça e demais questões interferem, e muito, na forma com que os processos se concretizam.


Olhar para os fatores é essencial para que não se crie uma culpa que não é sua. É entender que não é você que não dá conta não, viu?


Pode ser o sistema.


#descriçãodaimagem: fundo branco com textura similar a de papel amassado. Na parte superior e centralizado, há o nome da autora da imagem e a tag do texto: Saúde Mental. Na lateral superior direita, há uma forma orgânica nas cores rosa e marrom. Centralizado e justificado à esquerda, está o título da postagem: "É possível controlar tudo?" E na lateral direita, há a imagem de um homem, negro , que está vestindo blazer marrom, colares na cor dourada no pescoço, está de sombra azul nos olhos e está com os olhos fechados, mãos posicionada nas têmporas. Na lateral inferior esquerda, há uma forma orgânica também nas cores marrom e rosa. Na parte inferior e esquerda, há o logo clinico do canto Baoba.


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo